ENSINAMENTOS DO MESTRE SAINT GERMAIN "A CRÍTICA" -

Lembrai-vos de que a "Presença EU SOU" conhece tudo por toda a eternidade, em todos os percursos passados, presentes e futuros, sem limite. Se o discípulo pensar nessa Grande Presença, contemplá-la e compreender que Ela é toda Amor, Sabedoria e Poder, ao fixar a atenção em algo que deva ser realizado, saberá que essa Presença é a porta aberta, que é a realização Toda-Poderosa, e que não pode falhar. Invocai a Lei do Perdão e pedi a energia do Mestre Interior para corrigir e retificar o erro cometido, assim vos libertareis de sua reação. Vede quanto poder desnecessário é dado à atividade externa e quanta importância a coisas pelas quais a "Presença EU SOU" absolutamente não se interessa! Ela jamais se preocupa com os erros do eu externo, e se o indivíduo compreendesse ao menos que lhe é possível desviar-se de todas essas atividades discordantes, e dar à "Presença Mestra EU SOU" no seu interior toda autoridade e poder para dissolver e consumir tais condições, não poderia nunca, de forma alguma, sentir as reações resultantes de suas más ações. Quando o indivíduo continua a criticar, condenar ou julgar um seu semelhante, não só está prejudicando essa pessoa, como também, inconscientemente, admitindo na sua própria experiência o mesmo elemento que ele considera errado na outra pessoa. A exata compreensão disso tornará fácil aos indivíduos cessar para sempre com essa atividade indesejável, sabendo que o fazem para sua própria proteção. Vamos expor o assunto sob outra forma. Quando a atenção consciente se fixa numa qualidade, impele a mesma a entrar na experiência do indivíduo. Tudo aquilo que um indivíduo, sentindo profundamente, vê em outro, força a ingressar em sua própria experiência. Esta é a prova indiscutível de que o único sentimento digno de uma pessoa cultivar é o desejo da Presença do Amor Divino, e com isso quero dizer Amor puro e desinteressado. Os discípulos se admiram, muitas vezes, de terem de atender a tantas condições em suas experiências, à medida que se tornam mais sensíveis. É porque encontram uma aparência que lhes foi ensinada não ser real e, ao permitirem que sua atenção nela se fixe, não só a atraem, como também a forçam a entrar em seus próprios mundos, e depois têm de lutar para livrarem-se dela. Isso pode ser evitado retirando imediatamente a atenção da aparência, ciente de que: "EU SOU, EU SOU, eu sei que EU SOU livre desta coisa para sempre", seja o que for. Claro que tudo isso provém de uma falta de autocontrole do indivíduo ou de uma relutância em usar o autocontrole para governar o externo. Manifestam-se duas condições distintas nos discípulos: uns estão bastante propensos a fazer o esforço mas, inconscientemente, permitem que sua atenção se fixe nas coisas indesejáveis; outros, por uma espécie de teimosia, insistem em não fazer o esforço necessário para conquistá-lo. Nenhum instrutor deverá jamais manter um pensamento de critica com relação a qualquer discípulo, porque se o fizer, atrairá a mesma critica sobre si mesmo. Se os estudantes captarem a ideia exata dessa questão, deixarão de proceder assim para sua própria proteção. A crítica silenciosa, ao verificar discrepâncias em um outro, é pior do que se o fizesse por meio da palavra falada, porque o silêncio permite que a força se acumule. Quando qualquer discrepância atrair vossa atenção, dizei simplesmente à vossa "Presença EU SOU": "A Presença EU SOU está dentro daquela pessoa, e o que é humano não me concerne". Não importa que seja uma pessoa ou um objeto inanimado, porque desde que verifiqueis uma imperfeição, estareis introduzindo essa má qualidade em vossa própria experiência. Isso é tão importante que não pode ser suficientemente enfatizado. Vossa primeira atenção deveria ser sempre dirigida ao vosso próprio Eu Divino, adorá-lo sempre; isso vos dá a oportunidade e a força para vos elevardes à altura em que podeis ajudar a milhares, ao passo que agora só o podeis fazer a uns poucos. Nenhum serviço pode representar benefício permanente, a menos que o indivíduo primeiro aceite e adore o seu próprio Eu Divino, a "Poderosa Presença EU SOU". Os que desejam servir a Luz e realmente praticar o bem, devem compreender isso claramente. Quando os discípulos dizem: "Se eu tivesse dinheiro, quanto bem poderia fazer"! - Deveriam agir exatamente de modo inverso. Se alguém entrar na "Presença EU SOU", terá todo o dinheiro de que necessita e que não lhe pode ser negado. Assumi uma posição definida para com todos: "Há somente a Presença EU SOU atuando nessa pessoa". Toda experiência externa é apenas uma disciplina. Para aqueles que estão entrando neste trabalho, o presente treinamento é, na realidade, uma escola de aperfeiçoamento, eis por que alguns o acham um tanto rigoroso. Toda a Hoste Ascensionada sente, com grande alegria, o Amor e a gratidão que Lhe são transmitidos e sem dúvida corresponde ilimitadamente. "EU SOU" é tudo o que existe, presente em toda parte, visível e invisível. A compreensão necessária a cada pessoa virá de tempos em tempos, à medida que os discípulos prossigam exercitando a expansão de consciência. Não vos fatigueis atrás de coisas. Adotai a atitude serena, firme, da Ascensão. Calma e amorosamente aceitai-a e somente sede (isso evita a tensão). Nada é mais poderoso.

Fonte: Livro de Ouro de Saint Germain

https://www.ponteparaaliberdade.com.br/index.php?act=Fu