A CRIAÇÃO DE NOSSA TERRA -

“Assim como é acima, também é abaixo” é uma expressão muito conhecida da Tábua de Esmeralda ou Tábua de Hermes Trismegisto. Toda manifestação física é precedida por alguma ação em níveis superiores e internos.-

A Terra não foi criada em seis dias – seis períodos de vinte e quatro horas como declarado na Bíblia. Ela se manifestou por um longo período, como resultado de uma série de decisões, feitos e ações envolvendo, principalmente, os Sete Criadores do nosso Sistema Solar. Esses criadores são chamados de Elohim.

Após Hélios e Vesta decidirem se tornar os Deuses Pai-Mãe do nosso Sistema Solar, Eles tiveram que provar, através do direcionamento de Raios de Luz, que Eles podiam irradiar energia concentrada o suficiente para, primeiro, criar um Sistema Solar, e depois, manter seus planetas numa certa posição orbital e sustentar vida daí em diante. Hélios e Vesta passaram por tal iniciação; consequentemente, Alpha e Omega os declararam responsáveis por tal Sistema.

O primeiro decreto criado por Hélios e Vesta foi “Faça-se a Luz”. Através do pensamento e do sentimento, Hélios e Vesta determinaram o tamanho dos planetas, suas localizações e o número de fluxos de vida que subsistiria em cada um. Isso poderia ser comparado com o nosso projetar uma casa e seus interiores.

Quando o padrão de Luz foi completado, Hélios e Vesta colocaram o projeto nas mãos da Veladora Silenciosa Cósmica que é responsável pela manutenção do padrão da nossa Galáxia. O nome da Veladora Silenciosa Cósmica é CIRCULATA, um Ser feminino.

Circulata absorveu o Padrão do projeto e aceitou a responsabilidade de manter o Conceito Imaculado para cada planeta até a hora em que Hélios e Vesta designassem a exteriorização de cada um. Os projetos continham os oceanos, mares, rios, lagos, terras, árvores, arbustos e vegetações, as montanhas e a atmosfera de cada planeta.

Quando chegou a hora de criar a Terra, a Veladora Silenciosa Cósmica entregou os projetos para a Veladora Silenciosa Planetária da Terra. O seu nome é IMMACULATA, um Ser feminino.

Então, Hélios e Vesta criaram os sete Elohins e os Devas, que dirigiriam os construtores das formas. Encontrando-se em regular e específicos intervalos de tempo, juntos Eles começaram a manifestar a Terra em forma física, usando o padrão para a criação de um planeta, um processo chamado “as sete etapas para a precipitação”.

AS SETE ETAPAS PARA A PRECIPITAÇÃO

Todos os planetas são criados usando-se a Lei da Precipitação. Precipitação como é usada neste livro, significa manifestar uma coisa material de uma substancia primeva, eletrônica e luminosa. Um exemplo da Precipitação é Jesus alimentando os cinco mil, como está gravado nas Escrituras.

A Lei da Precipitação foi usada durante a Era Dourada, a qual a Terra iria aproveitar mais tarde. Uma vez que a Lei Cósmica não se modifica, ela se aplica hoje do mesmo modo, e qualquer indivíduo pode usá-la para seu benefício em seus afazeres diários.

Para melhor compreender como a Lei da Precipitação funciona, é importante aprender, primeiro, a ação dos Sete Raios. A seguir, estão as características gerais de como cada Raio foi usado no caso específico da Criação da Terra:

Ação geral e Características do Primeiro Raio (AZUL): a VONTADE, Poder e Determinação para tomar uma decisão. Sem a Vontade, não há a realização. Antes de se tomar uma decisão, deve-se ter um pensamento devocional e investigar os motivos. Caso Específico: HERCULES, o Elohim do Primeiro Raio (Azul) como porta-voz dos Sete Elohins, aceitou executar os planos de Hélio e Vesta através de um manifesto verbal: “Nós VAMOS exteriorizar seu Padrão e Plano.”.

Segundo Raio (DOURADO): A SABEDORIA (Iluminação) para reconhecer a ideia, entende-la, suscitar os meios e modos para capacitar uma rápida e permanente manifestação. Caso Específico: O Elohim CASSIOPEIA ajudou a conceber a glória de cada planeta como projetaram Hélios e Vesta, incluindo as montanhas, rios e vales.

Terceiro Raio (ROSA): AMOR DIVINO, a força de coesão, o levar o não formado á forma. O amor atrai a vida primeva (elétrons) e a faz acessível para ser colocada num nível vibratório mais baixo. Essa substancia luminosa então, obedientemente, toma uma forma manifesta de acordo com o padrão previamente concebido. O Amor é um ingrediente necessário durante cada passo da tentativa, até que a mesma esteja completa. Quanto mais sincero o sentimento de Amor posto numa manifestação desejada, mais bonita será a forma e mais rapidamente ela irá se manifestar. Se o Amor deixasse de existir, todo o Universo voltaria á não-forma. Por exemplo, os desertos são lugares onde os elementais se recusam a criar a vida vegetal. Caso Específico: Foi o Amor que fez com que os Elohins cumprissem o desígnio de Hélios e Vesta exatamente como foi concebido, sem alterações. O Elohim ORION criou a Chama do Amor Divino, que extrai, de uma substancia universal, os ingredientes para a perpetuação do planeta.

Quarto Raio (BRANCO): PUREZA é uma questão de sentimento, de consciência, segurando firme a Imagem, mantendo-a pura, sem distorce-la com qualquer opinião ou desejo do “self “ exterior. Através da Chama da Pureza, a ideia original é aperfeiçoada nos seus mais delicados detalhes e pureza. Caso Específico: CLAIRE, o Elohim do Quarto Raio, manteve inviolável o desígnio de Hélios e Vesta, de maneira que nenhuma montanha, árvore ou mesmo uma lâmina de grama se manifestasse fora do seu próprio desígnio.

Quinto Raio (VERDE): CONCENTRAÇÃO e CONSAGRAÇÃO. A Concentração precisa basear-se na Ideia Original ou Padrão de Luz, adicionando energia através do sentimento e Consagração do indivíduo á tarefa em mãos, até que a forma esteja completa, dedicando-se constantemente. Tal ocorrerá se houver a capacidade de concentrar-se em uma coisa por vez, e assim ser capaz de produzir Manifestação. Se não houver concentração, haverá somente mediocridade. Sem concentração, a manifestação uma vez desejada é abandonada antes que ela realmente se concretize. O “Reino Invisível” está cheio de orações incompletas, com lindas formas de pensamento que estavam, as vezes, a UMA hora de expressão e concretização. Ser o “valete de todas as coisas, mas mestre de nenhuma” não deveria ser a meta final de ninguém. Para se sobressair, é necessário determinação. Escolher UMA faceta da Vida, desenvolver com perícia e sobressair-se, pelo menos, em UMA direção. O Elohim do Quinto Raio, VISTA, falou: CONCENTRAÇÃO e CONSAGRAÇÃO são quase o mesmo, porque antes de tudo, seja o que for que se quiser fazer, que resultará em alguma coisa, requer a consagração de toda uma vida. Caso Específico: A Concentração de energia pelo Elohim VISTA permitiu que Anjos e Elementais, incluindo os Construtores da Forma, aglutinassem substancias de vida primeva, trazendo a Terra à forma.

A ordem do Sexto e do Sétimo Raios foi invertida com o propósito da Precipitação.

Sétimo Raio (VIOLETA): RITMO. Através do uso do fogo Violeta e o Ritmo da Invocação, a forma recebe seus toques finais; ela é lixada e polida para obter uma perfeita simetria, beleza e total perfeição. O Ritmo é necessário para prover substancia à forma. Por exemplo, no nosso corpo físico o ritmo do batimento cardíaco e o da respiração determinam eficiência para nossa forma física. Caso Específico: ARTURUS, Elohim do Sétimo Raio, através do Ritmo da Invocação, planejou, poliu e aperfeiçoou a Terra até que ela faiscasse como um diamante multifacetado.

Sexto Raio (RUBI E OURO): PAZ. Selar a manifestação completa com a Chama da Paz do Cristo Cósmico é uma ação do Sexto Raio. Isso permite que a criação seja permanentemente sustentada. Onde reside Harmonia e Paz, o que foi criado não pode desintegrar-se. Caso Específico: TRANQUILIDADE, o Elohim do Sexto Raio, colocou a Terra concluída em movimento ao redor do seu Eixo, envolvendo-a no seu manto de Paz, sustentando a forma permanente. Esse Eixo é uma corrente de energia, um Raio de Luz do Polo Norte ao Polo Sul. Agora, a Terra assumiu seu correto lugar entre os planetas da Galáxia, unindo-se triunfantemente à Melodia Celestial da Música das Esferas.

FONTE: O PLANETA TERRA SUA ORIGEM SUA HISTÓRIA SEU DESTINO