A RELIGIÃO DE JESUS -

A religião pura e simples de Jesus não existe mais.

Com fausto delirante, honras tolas e frias relíquias, caiu essa religião ao nível das mais absurdas fábulas. As elevadas verdades ensinadas por Jesus foram substituídas por fantasias e os fanáticos partidários de minha Divindade arrastaram meu nome entre o lodo e o sangue, nos abomináveis espetáculos da Inquisição e sobre os campos de batalhas ímpias.

Pobres mártires! — E vós, intrépidos lutadores da razão, marchai através dos mundos! Correi em busca das verdades eternas! Ascendei sobre as sufocantes humanidades e derramai luz sobre elas! Teus esforços e teu patrocínio serviram para a emancipação de alguns homens, ó jovem e intrépido atleta das arenas da inteligência! E tu em troca... morres pobre, desejoso de viver ainda para dar termo à página começada!

A página começada será terminada em outra parte e tu te verás libertado deste corpo de lodo, distanciado destes estertores  de morte, desiludido das sombras, impelido para a luz infinita, saciado de amor e de liberdade!...

Decidido campeão de uma nova ideia, tu vais expiar teu delito... A morte aí está; a morte no meio de uma multidão gritadeira e estúpida... Mas te sustentarão os anjos em tua hora suprema e ascenderás para a luz eterna!...

Desce, irmão meu, os últimos degraus da vida humana, eles te conduzirão para o vestíbulo da eternidade. O túmulo abrirá para ti os esplendores do dia e te serão reveladas as harmonias do poder criador. A velhice de teu corpo é pesada mas a alma jovem está por sair desse túmulo e te será dada, irmão meu, a revelação sublime do que tu tens pressentido. Fala a teus irmãos, sê ainda útil à humanidade. Estuda, pede a Deus a chave que abre a mansão faustosa de sua pura luz, penetra na abóbada dos esplendorosos astros e volta à Terra para dar-lhe a prova de teus novos descobrimentos.

A vós todos, homens pensadores e homens de ação, a vós, amigos meus, pertence-vos a admiração dos espíritos que vos precederam. A vós pertence-vos a força, o poder e a perseverança na palavra e nos pensamentos de regeneração.

Na manifestação da verdade, irmãos meus, é preciso prevenir-nos contra os excessos da indignação, para os quais pode arremessar-nos a lembrança do passado, e convém demonstrarmo-nos fortes perante o presente para fundar o porvir.

Eu dirijo a todos palavras de perdão e de consolo.

Deponde as armas e amai-vos uns aos outros. Um só laço existe para unir a humanidade inteira: é o amor. Não há mais que uma porta de saída da degradação: o arrependimento, e se na hora derradeira o arrependimento faz curvar a cabeça do culpado, a justiça de Deus, impregnada de sua misericórdia, inclina-se sobre essa cabeça.

A expiação das culpas é inevitável, mas o arrependimento do pecador tira à expiação o caráter ignominioso do castigo e o desespero da vergonha.

Irmãos meus, dou-vos a palavra de paz, dou-vos a promessa de vida e vos abençôo.

VIDA DE JESUS DITADA POR ELE MESMO CAP. V

http://www.novaordemdejesus.com.br/