A RENDIÇÃO -

Sempre existiram dois tipos de pessoas: aqueles que tem contato direto com a Divindade e os que leram sobre esse contato. Os primeiros são raros, os segundos são prolixos em ensinar o que não vivenciaram. Os primeiros preencheram as condições acima. Os segundos ouviram falar. Quando se fala que não se pode conhecer a realidade última, está se falando que através da razão e impossível. A única forma de conhecer o Todo é unindo-se a Ele com o mesmo sentimento que Ele tem. O Amor. Foi isso que Rumi disse. É possível conhece-lo, mas é preciso amar como Ele ama. E isso é para poucos; dadas as condições necessárias para  se chegar nesse grau de sentimento e consciência. O despojamento do ego tem de ser absoluto. O ego não desaparece, mas dá lugar completamente a ação do Divino. O ego não faz mais o que quer, faz o que o Numinoso quer. O Amor Incondicional é total e absoluto. Não há meias medidas. Não há limites. Não há considerações politicas. Não há o politicamente correto. Ou é ou não é. Considerações mundanas não tem sentido aqui. Quando o ser fundiu-se desta forma com o Ser Perfeito, toda sua vida é dirigida por Ele. Tudo que ele faz, tudo que ele pensa, tudo que ele sente, todos que chegam perto dele, tudo é feito em função da decisão do Ser Perfeito. Evidentemente que a diferença entre uma pessoa que se fundiu com o Todo e os demais é tal, que e simplesmente incompreensível para os demais entenderem a lógica que rege a vida daquela pessoa, que se uniu a Tudo Que Existe. E quando a pessoa está no mundo, mas não é do mundo. E quando não há mais noite nem dia, nem verão nem inverno, nem chuva nem sol, só há uma primavera eterna no coração do ser que ama o tempo todo. Alguém que chegou neste estágio de unicidade espraia esse amor sem cessar por onde estiver. Mesmo que esse amor não seja notado, nem compreendido; ou talvez mal compreendido. Já que amar desta forma e ir contra as convenções deste mundo. Contra os preconceitos e tabus.

O Amor abarca tudo que existe. Sem distinções, sem cor, sem gênero, sem julgar. Só derrama o amor que nasce do Ser Perfeito, do Si mesmo, sem começo nem fim, todo o tempo, se autoperpetuando. Amor sem parar de emanar. Tudo e todos são alvos deste amor. Nos grandes e nos pequenos gestos. Percebidos ou não. Num pousar a mão no ombro do irmão e transferir o amor do Pai. Neste pequeno gesto, mas infinito em poder, de passar amor. Um toque que transforma toda a vida de quem o recebe. Talvez imperceptível para quem o receba no físico, mas um tremendo choque de amor para o espirito daquela pessoa que recebe. E esse amor que transforma e cura. Para esse amor não há cor de pele, condição social, sexo, adulto ou criança, animal ou planta, mineral ou partícula elementar. Quando a fusão chegou neste ponto, pode-se reconstruir um corpo espiritual em segundos, apenas pelo amor que flui de Si mesmo. Apenas o desejo, emanado de um amor tão imenso, tão infinito, tão incomensurável, tão incompreensível pode fazer isso. E quando acontece a transformação. É quando acontece: “Lázaro, vem para fora, levanta e anda”.

Existe uma questão fundamental para todo ser humano entender. É como funciona o Universo. Quais as leis que regem tudo. O não entendimento disto só causa problemas e atrasos. E não é por causa de Deus. É por ignorância nossa. Se buscarmos diuturnamente a fusão com a Centelha Divina, que habita em nós, tudo se resolverá. A negação da existência desta Centelha nos faz perder o rumo. E cabe a nós achá-lo. Porque a Centelha está sempre indicando o caminho. Se deixarmos um pouquinho o ego de lado, rapidamente chegaremos a Deus. Todavia a visão que os humanos tem da Divindade está muito distorcida. Ao longo de toda a história e em todos os continentes, tribos e civilizações, há deuses que são ciumentos e vingativos, que punem se não são obedecidos, que querem domínio absoluto, que querem poder absoluto, que mandam doenças, calamidades, miséria, dores, sacrifícios de crianças, danação eterna etc. para quem não o obedece cegamente. Toda sorte de desgraças é detalhadamente descrita, avisando que tudo aquilo recairá no desobediente. Portanto, são deuses que dão um valor extremo ao poder. Ter poder para eles é tudo. A essência deles é querer poder. São tiranos. Isso contrasta totalmente com a essência Divina, que é puro Amor. Que dá alegria, prazer, crescimento, cuidados amorosos, oportunidades infinitas de evolução, que não se deixa vencer em generosidade, êxtase contínuo etc. Portanto, temos um problema aqui. Está claro que os outros são deuses, mais ou menos positivos ou negativos. Só há um Deus e este é Amor. Será que isto está bem claro?

A soluçao de todos os problemas humanos está no salto para a fusão com a Centelha. A partir dai tudo muda na vida da pessoa. Tudo. O que se pensa acontece. A vida é continuamente gratificante. Deus cumula de bençãos aquele que O procura.

Prof. Hélio Couto

Livro Mentes In-Formadas

https://www.heliocouto.com/livros