A QUEDA DO HOMEM -

Foi durante a chegada da Quarta Raça Raiz, que um conselho cósmico se reuniu e sua decisão mudou drasticamente o curso de todas as evoluções da humanidade da Terra.

Esse conselho, assistido pela Hierarquia Espiritual da Terra, foi chamado para decidir o que fazer com bilhões de fluxos de vida que viviam em outra Galáxia. Esses fluxos de vida tinham um desenvolvimento espiritual insuficiente para ganhar habitação contínua para evolução em seus próprios planetas. Como parte do Plano Divino, o planeta deles deveria passar por uma etapa de Inspiração, trazendo-o uma etapa mais perto do Sol.

De acordo com a Lei Cósmica, a grande proximidade com o Sol requer uma aceleração da vibração do planeta e seus habitantes. Os indivíduos se recusaram a prosseguir com o Plano Divino. Eles estavam complacentes em seus pensamentos e sentimentos e atrasados no seu processo natural de evolução.

Por essa razão, eles não estavam qualificados a se adiantarem com seu planeta. Os Mestres se referem a esses indivíduos como “retardatários”.

Um plano era fazê-los passar pelo que chamamos “segunda morte”, a qual termina com a vida do indivíduo, reduzindo seus componentes a uma substancia universal, da qual não há retorno. Foi, então, que a Hierarquia da Terra, num ato de misericórdia, ofereceu a Terra como um Lar Planetário para ajudar os retardatários a completar sua evolução.

As condições neste planeta ainda eram perfeitas e harmoniosas mas, comparada com outros planetas, o seu padrão vibratório era ligeiramente mais baixo. Era esperado que os retardatários fossem guiados pela pureza e perfeição dos pensamentos e sentimentos do povo da Terra e, seguindo esse exemplo, eles gradualmente transmutariam o seu karma. Os Sacerdotes Supremos e os Espíritos Guardiães foram informados da chegada dos retardatários; o restante da humanidade não estava a par do evento. Por cem anos, os Sacerdotes Supremos tentaram, através de invocações, estabelecer uma proteção em volta dos fluxos de vida da Terra, para prevenir a sua contaminação pelos retardatários.

Qual era a aparência dos retardatários quando eles chegaram na Terra?

Presos agora às mesmas leis que se aplicavam ao restante da humanidade na Terra, eles foram providos com corpos semelhante e, por isso, não eram distinguíveis dos naturais da Terra.

O principal defeito dos retardatários era a arrogância, a rebelião, a resistência ao progresso, teimosia e ressentimento com a mudança. Naturalmente, eles trouxeram essas más qualidades com eles. As formas-pensamento impuras dos retardatários se espalharam pela atmosfera da terra como neblina. Foi o começo da névoa que a Bíblia comenta “e uma névoa se levantou e cobriu todo o chão”. (Gênesis 2:6) Com o tempo, o povo da Terra sucumbiu à tentação sutil da curiosidade.

Eles se ligaram às formas-pensamento impuras dos retardatários e começaram a brincar com elas. Esse experimento com o mau uso do livre arbítrio causou o que é conhecido como a “Queda do Homem”. A humanidade começou a dar ouvidos ao “grupo errado”. Independentemente da orientação de Deus, a humanidade escolheu, deliberadamente, experimentar a impureza. Desse modo, a atenção do Homem não mais estava voltada à sua Presença interior, à diretriz da sua atividade de vida. “O Homem se tornou cônscio dos sentidos ao invés de Deus e, então, de acordo com a Lei Cósmica, manifestou aquilo para o que sua atenção estava voltada e aquilo que ele mais pensava”. Ele, deliberadamente e conscientemente, deu as costas para a Perfeição e para o controle com os quais o Pai o dotou desde o começo.

Quando a neblina primeiro apareceu, era como uma pequena nuvem de fumaça. Mais tarde, conforme o tempo foi passando, ela se tornou uma neblina crescente que, gradativamente, isolou a presença visível da Hoste Ascensionada.

Com isso, a glória da perfeição das duas primeiras Raças Raízes chegou ao fim. Mais tarde, quando a cultura Atlante floresceu, existiram outras Idades de Ouro, durante os quais o véu entre a Hoste Ascensionada e a humanidade foi parcialmente rasgado; contudo, a perfeição das duas primeiras Idades Douradas foi ímpar e nunca igualada. Os Mestres asseguram que nos é possível rasgar o véu mais uma vez e que o Homem, novamente, será capaz de andar e falar com os Anjos.

Os retardatários não vieram para a Terra de uma vez. Ao todo, havia bilhões deles e foram chegando gradativamente.

A DESARMONIA APARECE

A “Queda do Homem” ocorreu na Austrália e Nova Zelândia de hoje.

Naquele tempo, esses países eram parte do Continente gigantesco de Mu, o qual cobria parte dos Oceanos Pacífico e Indico. Foi ali que a calúnia e a maledicência começaram a tecer o véu.

Para podermos determinar uma época para a “Queda do Homem”, podemos concluir que os Mestres Ascensionados declararam, repetidamente, que existiram duas Idades de Ouro, durante as quais não havia imperfeição. Também baseados em discussão anterior de “Raças e Ciclos”, sabemos que, sob condições perfeitas, precisa-se de um Ciclo de 14.000 anos para uma Raça Raiz fazer a Ascensão. Além disso, ficou claro que as três primeiras Raças Raízes não experimentaram imperfeição e ganharam sua Ascensão durante o tempo determinado. E Além disso, sabemos que os retardatários chegaram no começo da Quarta Raça Raiz, indiretamente causando o fim de um estado de perfeição absoluta na Terra. Consequentemente, se escolhermos definir a “Queda do Homem” como uma época em que a desarmonia apareceu primeiro na Terra, podemos designar a data de 50.000 anos aproximadamente depois que a humanidade surgiu no Globo.

Na comunicação do Mestre Ascensionado Krishna, Ele afirmou que, quando a humanidade foi dada como decaída, um milhão de anos se passaram. Como apontado anteriormente, demoraram anos até que a pequena “névoa”, originalmente um pequeno foco de fumaça, se tornasse uma grande neblina que gradualmente cerrava a visão da presença dos Anjos. Portanto, de 50.000 anos de idade da humanidade até 1.000.000 de anos a neblina foi tomando conta devagar até que causasse a definitiva ruptura entre os mundos espirituais e materiais.

O PLANETA TERRA SUA ORIGEM SUA HISTÓRIA SEU DESTINO