OS VAMPIROS EXISTEM E DE MUITAS ESPÉCIES -

Após a leitura do livro: Vampirismo, senti a presença do Conde Rochester, mas, a manifestação foi de outro Ser espiritual.

Eis suas palavras:

Irmãs, boa noite a todas.

Sirvo-me deste veículo mediúnico para manifestar-me em nome de Jesus, este Santo Nome que hoje reverencio e amo.

Fui um Drácula. Digo um, pois muitas linhagens deste ser hediondo existiu e existe ainda hoje, em lugares ermos de algum país isolado e frio. Ali ele habita.

Que julgam os homens quando emitem seus pensamentos ignominiosos? A quem direcionam? Julgam que por ai, na atmosfera, eles se desfazem?

Quanta ignorância ainda está mergulhada na mente dos homens incrédulos, desta sociedade terrena!

Longe estão de acreditar nas formas mais horrendas dos seres que a Criação Divina não gerou, mas que a maldade dos homens esculpiu com seus pensamentos indecorosos e suas ações satânicas e perversas.

Os vampiros existem, de muitas espécies. Existem aqueles mais comuns que sugam o sangue das criaturas encarnadas, estando eles no plano astral, mas ainda ligado a um corpo físico, "aparentemente morto e enterrado".

Há aqueles que não possuindo mais o corpo físico seguem no desejo de saciar-se com sangue. Eles empesteiam locais de matança de animais; saciam-se também com sangue humano, provocam acidentes que haja fartura do líquido rubro. Imaginais todas as situações de violência ou de doença, onde há intenso derramamento de sangue e ali estão sempre os vampiros sedentos para se fartarem.

Há os vampiros de energia alheia, ai mesmo no plano físico, mas, estes bem os conheceis, quase em equivalência com os do plano espiritual. (são pessoas ainda encarnadas)

Os vampiros são réprobos das Leis Divinas, criaturas mergulhadas nas sombras dos vícios, com as mentes perturbadas e perversas.

O indivíduo torna-se um vampiro porque de alguma forma possui a tendência para beber sangue, vício contraído em alguma existência passada e ainda não o dominou. No momento em que entra em contato com algum vampiro, estando ainda encarnado e tornar-se um vampiro é porque sente de forma violenta ativado o vício do passado, que abruptamente passa a dominá-lo.

Isto acontece porque suas tendências instintivas primárias, de um modo geral, ainda não conseguiu dominar, sendo por elas conduzido; sejam elas ligadas ou não aos vícios, tais como: paixões violentas, irascibilidade, luxúria, e outras tantas que poderão conduzi-lo a tornar-se vampiro, sem que para isso haja sido transmitido por contágio.

Quem se torna vampiro é porque já o era antes e mesmo que não fosse atacado por outro vampiro, tornar-se-ia um destes, à luz do dia, ou na calada da noite, quando seu espírito se libertasse do corpo físico, buscando saciar-se nos planos astrais.

É natural a descrença do mundo moderno acerca dos acontecimentos de passado longínquo, que ficaram na historia da humanidade, porém, os Abismos abriram suas portas (portais) para a superfície da Terra e toda a escória da humanidade, a ela retorna.

"Não sobrará pedra sobre pedra" dos alicerces porosos da fé, da sociedade moderna!

Fortalecidos na fé e no conhecimento, que liberta a consciência do anátema do preconceito e da ignorância, a criatura encontrará as forças necessárias para não sucumbir ante a fúria dos perversos seres que invadem os lares e as mentes dos encarnados.

Que a Misericórdia Divina alcance todos os irmãos de humanidade protegendo-os, e que estes consigam enxergá-la.

Jesus abençoe a todos.

Agradeço ao Conde Rochester, nosso contemporâneo e amigo, que muito nos auxiliou e auxilia, no caminho de volta a Casa do Pai.

Germano

Ex Drácula

GESH - 30/04/2010 - Vitória, ES - Brasil

http://extraseintras.com/mensagens_ver.php?ind=1&id=1913